22/01/2021

A Voz da Esquerda Judaica

Mauro Nadvorny & Amigos

Um pouco de alento

3 min read

E começamos 2021 para tentar esquecer o ano que passou. Infelizmente, em muitos países, ele será a repetição da mesma tragédia. Países que não tiveram o cuidado de garantirem vacinas para sua população, vão continuar sofrendo as consequências.

Mas nem tudo são tragédias.

Vamos ter um novo presidente nos EUA. Ao menos, o pior presidente americano de todos os tempos está deixando o cargo. Dele, os americanos se vacinaram, assim espero. Não quero dizer com isso que Biden seja muito melhor, mas convenhamos, Trump precisava sair.

O mundo como conhecemos vai ser reconstruído. A Inglaterra deixou a Europa e voltou a ser a ilha que sempre foi. Os ingleses não fazem ideia das consequências para eles, e por enquanto, aguardam o destino que lhes está reservado. Imaginam que. Independentes, sejam capazes de melhorarem de vida sem o Mercado Europeu como sócios.

A Argentina deu um exemplo de civilidade para a América Latina e o mundo ao aprovar a Lei do Aborto. Milhares de mulheres serão salvas da morte em consequência de terem assegurado este direito e não precisarem mais recorrerem a abortos em clínicas clandestinas.

Conhecemos novas formas de solidariedade. O uso da máscara e o distanciamento social ajudaram a salvar vidas. Muita gente vai continuar usando máscara nos invernos para se prevenir de gripes e resfriados.

A ciência vai utilizar a mesma técnica das novas vacinas contra o Covid-19 para prevenir outras doenças e nos preparar para o surgimento de novos vírus no futuro. Um grande passo da ciência que vai beneficiar toda a humanidade.

É preciso poupar. Talvez esta seja a maior das lições. A sociedade precisa aprender a ter reservas econômicas para situações inesperadas. Os governos precisam garantir formas de poupança que garantam aos cidadãos que lhes sejam supridas as necessidades mínimas diante de situações de quarentenas.

As relações de trabalho também serão diferentes. Aprendemos que para muita gente é possível trabalhar de casa sem a necessidade de deslocamento diário para as sedes das empresas. Menos tráfego, menos poluição e combustível mais barato para lazer.

Encontros virtuais vão continuar acontecendo. Sem prejuízo da visita presencial, muitas apresentações de produtos e negócios vão continuar acontecendo pelos programas de conferência virtual. Mas não são só negócios, amigos e familiares podem se ver com mais frequência pela Internet.

O ano virou, foram muitas perdas. Agora precisamos levantar a cabeça, deixar os lamentos para trás e seguir em frente. Temos muito que fazer. Resistimos até aqui e vamos continuar resistindo até que surja um novo Brasil sem isto que está na presidência.

 

Deixe uma resposta