28/01/2021

A Voz da Esquerda Judaica

Mauro Nadvorny & Amigos

Suas Excelências: o lixo!

3 min read

O sr. Moro é um péssimo exemplo de pessoa (do e para o bem). Foi um péssimo, inconstitucional e antijurídico juiz, um miserável de dignidade e um vazio de ética (vide The Intercept), e está falando, agora, em seu “público, político e inadequado” pedido de demissão, contra o sr. Bolsonaro, outro péssimo exemplo de pessoa, lixo de (quase já ex) Presidente, desprovido de dignidade e absolutamente antiético.

A diferença entre esses dois seres inferiores é que um praticou atos típicos e antijurídicos no meio da “milícia política” do MPF curitibano, enquanto o outro, no meio (e em função) da milícia carioca.

O que iguala esses seres inferiores brasil(eiros) é que o seguidor e defensor anencéfalo e estúpido de um, é seguidor e defensor anencéfalo e estúpido do outro. O sr. Moro e o sr. Bolsonaro são o mesmo tipo, com a diferença de que aquele antecede e cria este. Moro destruiu o sistema constitucional brasil(eiro) e alimentou o doentio ódio antipetista, criando condições propícias para Bolsonaro chegar ao poder e, em recompensa, carregar ele, Moro, ao governo.

Moro, o perverso ex-rei de Curitiba, morre politicamente aqui – e agora! Bolsonaro, que está apodrecendo a vida do país, seguirá, entretanto, um pouco mais, talvez até o final de seu (falso) Mandato. Havia uma esperança de conseguirmos o seu “Impeachment”, mas, com a saída e gosma verbal de Moro contra ele, provavelmente será mantido. O Congresso não vai arrancar Bolsonaro para lançar holofotes sobre Moro. Esse é o relatório!

NOTA IMPORTANTÍSSIMA

Acabei de assistir, e ouvir, não apenas um ataque contra Bolsonaro, e um pedido (inadequado) de demissão de Moro, mas a sua “CONFISSÃO” de crime. No seu pronunciamento, ele confessa ter cometido vários crimes enquanto Ministro e, pior, quando era Juiz da 13a Vara de Curitiba. Na sua confissão, ele revela que pediu, e aceitou, ainda como Juiz, promessa de vantagem financeira indevida de Bolsonaro. Isso é grave, isso é confissão de crime no exercício de função pública. Repito: ele confessa que pediu, e aceitou, promessa de vantagem PECUNIÁRIA indevida de Jair Bolsonaro! ISSO É GRAVE!

Deixe uma resposta