28/01/2021

A Voz da Esquerda Judaica

Mauro Nadvorny & Amigos

Reações alérgicas (hipersensibilidade) como asma, reações leves a moderadas que potencialmente afetam a pele, o trato respiratório, o trato gastrintestinal e o sistema cardiovascular, com sintomas tais como erupções na pele (rash cutâneo), urticária, inchaço (edema), coceira (prurido), rinite, congestão nasal, alterações cardiorrespiratórias e, muito raramente, reações graves, como choque anafilático;

Eu não sei quem de vocês, toma remédio prescrito, ou não, por médicos. Não precisa ser nada de muito especial, nem com tarja preta, pode ser um simples remédio para dor de cabeça. Vamos pegar uma Aspirina, algo que todos estão acostumados.

Com certeza, 99% dos que estão lendo este artigo nunca leram a bula da Aspirina. Bem, o primeiro parágrafo aí em cima, apesar de muitos acharem que fosse sobre as vacinas contra o Covid-19, se refere exatamente as reações adversas que uma simples  Aspirina pode causar. Eis outra: Comprometimento dos rins e alteração da função dos rins (insuficiência renal aguda)“.

A verdade é que a bula de qualquer remédio vai conter advertências que fariam qualquer um desistir imediatamente dele. No entanto, são eles que salvam vidas e os responsáveis por fazer com que a nossa expectativa de vida chegasse nos dias de hoje aos 100 anos.

As advertências se referem a casos que podem ser definidos como raríssimos, mas precisam constar. Os casos adversos normalmente possuem tratamento, mas as consequências de não se medicar, provavelmente não.

O mesmo se pode dizer sobre as vacinas. Foram elas que acabaram com as mais graves doenças que vitimavam milhares de seres humanos ao longo da nossa história. Muitas levando ao óbito e outras deixando sequelas por toda a existência.

Escutar nos dias de hoje, diante de uma epidemia que já vitimou cerca de 3 milhões de pessoas, que está destruindo economias, arruinando negócios e causando uma onda de pesar internacional, da boca de um presidente da nação de que não vai tomar a vacina porque ela pode “transformar” a pessoa em um Jacaré, é de virar do avesso a Terra Plana.

Tive de assistir ao vídeo mais de uma vez para me certificar de que não se tratava de uma Fake News. Na primeira vez tive certeza de que era um daqueles vídeos alterados para parecer que o presidente estava dizendo algo que não era real. Assisti mais uma vez e procurei confirmar nos portais de notícias mais conhecidos, e pqp, ele realmente disse isso com estas palavras: “Se tomar vacina e virar jacaré não tenho nada a ver com isso“.

Por alguns instantes fiquei atônico e incrédulo com tamanha bizarrice. A seguir percebi um certo sarcasmo que estava fluindo em minha mente. Talvez a fala dele cause uma seleção natural no Brasil. Dentro em breve o Covid-19 só vai poder infectar os que não se vacinarem, os que seguem esta coisa que está presidindo o país, sem nenhum questionamento. Vai ficar fácil saber quem é bolsonarista, basta o cara se infectar.

Logo me veio a lembrança de que alguns cientistas diziam de que em uma hecatombe nuclear só sobreviveriam as baratas, e eu logo imaginei que no nosso caso, vão sobreviver somente os Jacarés.

Claro que não desejo a morte de ninguém por tamanha estupidez. Nem o gado merece tal destino. Estamos diante da luz no fim do túnel. As vacinas são o nosso passaporte para retomar nossas vidas, uma chance de um novo recomeço.

Em todo lugar estamos vendo os presidentes e primeiros países dos países que estão iniciando a vacinação sendo os primeiros da fila para darem o exemplo. Algo importante que transmite confiança e que deveria ser a norma, menos no Brasil, onde  o presidente se nega a tomar a vacina e faz questão de colocar dúvidas a eficácia delas.

Sua postura vai condenar milhares de brasileiros a se infectarem com muitos deles indo a óbito. É de uma ignorância desprezível. Não fosse a certeza de que é exatamente isso que vai acontecer, ficaria sendo mais uma de tantas bobagens saídas de sua boca. No entanto e para espanto geral, vai ficar por isso mesmo.

Só me resta apelar aos meus amigos: na história do Brasil recente sejam lembrados como Jacarés.

 

 

Deixe uma resposta