23/07/2021

A Voz da Esquerda Judaica

Mauro Nadvorny & Amigos

Atemporal

1 min read

O que dizer desse amor tão persistente?

Que se esconde numa amizade

Mas que sempre reaparece e me faz contente

O que posso esperar desse sentimento que não respeita o tempo?

Que se encontra em tantas vidas

E sabe renascer como a fênix

Um amor que não carece de elos

Sem promessas ou certezas

Apenas persiste

Refloresce a cada estação

Ainda que não seja primavera

Sabe amadurecer com a elegância de um porto

Mas também traz a embriaguez de um Absinto

Como posso ser sóbria, com toda essa febre que sinto?

Mais Histórias

Deixe uma resposta